O LEGADO DA HONESTIDADE


Embora nem sempre presente na essência dos homens públicos, é natural que aqueles enfrentem e suportem corajosamente os efeitos colaterais de suas ações individuais, especificamente as desenvolvidas no meio social. É fácil arcar com esta cruz? Claro que não! Para isso, as virtudes da prudência e da sabedoria devem ser escudos contra as lanças do descuido e da insensatez. Ser público demanda prestar contas com a sociedade, juíza última das ações humanas. Tornar-se pessoa pública, de certa maneira, é uma escolha individual não imposta e não forçada, e isso requer dupla atenção no trato com o coletivo.

O recente caso ocorrido com o Senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) não pode fugir à regra do comprometimento com a coisa pública, mesmo sendo o “acusado” pelos Órgãos de Controle filho do próximo Presidente da República. Tendo ocorrido dano ao patrimônio público sob supostos “desvios” de dinheiro por assessores parlamentares, o Senador Flávio Bolsonaro deve ser ouvido e investigado, urgentemente! Não há erro que seja eterno, e nem dor da qual não caiba retratação justa e verdadeira.

A demora na explicação do caso, principalmente pelos assessores do Senador, abre portas para a mídia tradicional tentar manchar, ainda mais, o núcleo forte do Governo Bolsonaro. É complicado iniciar um novo período republicano sob bombardeio da imprensa em um caso que pode ser resolvido rapidamente. Quanto menos se elucida do fato, mais desgastes vão surgindo. Prato cheio para a chacota das moscas jornalísticas.

Embora possa parecer contraditório a quem estava acostumado a presenciar o acobertamento ideológico de monstruosos crimes políticos ocorridos durante décadas, é justamente por ser eleitor de Bolsonaro que queremos o contrário: o cumprimento das promessas de campanha: honestidade, transparência e justiça. Não me parece pedir demais de um Governo que se colocou como defensor irrestrito da moralidade e do combate à corrupção, doa a quem doer!

No cenário desse acontecimento específico, fica claro que a corrupção política é endêmica, afetando diversos parlamentares do Rio de Janeiro. Para os que acompanham os bastidores políticos, há fortes suspeitas que esse tipo de fato ocorra em praticamente todas as Casas Legislativas do Brasil, o que é ilegal. O certo é que a corrupção aparelhada por outros partidos políticos será desvendada mais dia menos dia. O que importa aos eleitores de Bolsonaro é que a resposta para esse caso seja rápida, inclusive para servir de freio à imprensa tendenciosa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *