JOGANDO SUJO


Talvez uma das mais inquietantes perguntas da atualidade é como cada brasileiro pode iniciar a mudança do cenário caótico por que passa nosso país. Sim, é tarefa de cada brasileiro começar a mudança, e não deixar o desafio nas mãos de políticos e autoridades. Foi com essa ideia (o problema tem que começar a ser resolvido por eles e não por nós!) que chegamos no cenário atual de desgraça generalizada, seja no campo social, econômico ou moral. O número de brasileiros que deixa o país para viver principalmente nos EUA, Canadá e Europa, cresce ano após ano. Algo está muito errado. Mudar “do” Brasil talvez seja a solução mais fácil. A mais desafiadora é mudar “o” brasil.

Não é difícil imaginar que setores como educação, transporte, saúde, segurança pública, que afetam o dia-a-dia da população, estejam passando por extrema crise. São homicídios em taxas cada vez mais elevadas; desemprego em alta; transporte público caro e de baixa qualidade; população sem dinheiro no banco ou no bolso; famílias amedrontadas, sem poder sair de casa e moralmente destroçadas pela infidelidade, pelo desrespeito, pelo álcool, pelas drogas, pelos divórcios, pelo aborto. Estamos pagando um preço elevado das irresponsabilidades dos últimos 30 anos. Cada família brasileira está sofrendo pelo terrível momento que vive nosso país. Mas a pergunta que comecei o artigo tem uma resposta: o início da mudança está nas Eleições 2018.

Você, que é pai ou mãe de família, confiaria colocar dentro da sua casa uma pessoa que iria lhe enganar e lhe roubar durante 4 anos seguidos, ainda mais sem lhe ajudar nos trabalhos domésticos e, muitas vezes, repassando aos seus filhos materiais pornográficos e incentivando que sua filha faça aborto? Você aceitaria tudo isso dentro da sua casa, por 4 anos seguidos? Não? Pois saiba que quando você elege políticos com um passado de corrupção, que são favoráveis à ideologia de gênero, ao aborto, às drogas, você está colocando parte da responsabilidade sobre o destino da sua família nas mãos de gente que vai jogar sujo com você.

Novamente, quem paga a conta é a população mais pobre, que agora está vendo suas famílias serem destruídas não só financeiramente, mas também pela destruição de seus valores morais e éticos. De que adiantou tanta ajuda aos mais pobres (bolsa família, auxílio reclusão) se as mesmas pessoas que estavam concedendo esses benefícios estão atuando na destruição moral de todos nós?

Não podemos mais eleger políticos corruptos, inimigos da vida e da família!

(Publicado no Jornal O ESTADO, em 22/06/2018)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *